Encontre aqui

Comer e Beber

15 de Dezembro de 2014 às 12h14

Tapioca: ela veio para ficar

Quitute chega ao cardápio de um número cada vez maior de bares e restaurantes – em versões que vão muito além da tradicional

Originária do Norte e do Nordeste brasileiro, a tapioca chegou a São Paulo em pequenas barraquinhas de rua e de centros comerciais. Acabou conquistando o público adepto ao estilo de vida fitness, por ser um tipo de carboidrato rapidamente digerido pelo organismo. Até que, recentemente, ganhou também espaço nos restaurantes e bares da cidade, que a servem tanto em seu formato tradicional, como um crepe, quanto em versões mais sofisticadas – usando a fécula extraída da mandioca para elaborar as mais diversas receitas.

Uma das casas que aproveitou essa onda é a Goma Tapiocaria, na Vila Madalena, aberta há pouco mais de um ano pelo publicitário Caio Monteiro. “Desde moleque sempre viajei para a Bahia, mas foi em uma das minhas viagens para Manaus que descobri o número de coisas que podem ser feitas com a tapioca. Conversei com a minha esposa, a chef Morena Leite, e ela elaborou um cardápio com todos os pratos à base de tapioca – as entradas, os principais e as sobremesas, mas tudo gourmet. Nosso objetivo era ir muito além da tapioca comum que todos conhecem”, conta.

Algumas das indicações do proprietário são o blinis de tapioca com peixe surubim defumado, coalhada seca e geleia de uvaia (semente da Mata Atlântica), como entrada; e o camarão ensopado com palmito pupunha com pérolas de tapioca como prato principal. Mas quem não quer fugir do tradicional também pode pedir um dos três crepes salgados: beterraba, carne seca e abóbora, ou queijo coalho. Para a sobremesa, uma boa pedida é o galette de tapioca com leite condensado e sorbet de cupuaçu.

Outros estabelecimentos também passaram a servir tapioca para seus clientes. É o caso do Octavio Café, no Jardim Paulistano, que acaba de incluir a iguaria tipicamente brasileira em seu cardápio. Além de servir três versões tradicionais (queijo minas e tomate, peito de peru com queijo e doce de leite com coco), também saem da cozinha as chamadas “tapioquinhas” ao perfume de limão e parmesão, acompanhadas de fraldinha cozida com pesto de tomate levemente apimentado.

Já no bar Coronel Santinho, no Ipiranga, um dos petiscos que mais chamam a atenção da clientela é o dadinho de tapioca com queijo coalho, acompanhado por geleias de cupuaçu e açaí. A criação é de um dos sócios, que viveu dez anos no Belém do Pará. “O sucesso foi tanto que o prato acabou se tornando nosso carro-chefe”, destaca a representante Cássia Rodrigues. Mais um indício de que, definitivamente, a tapioca caiu no gosto dos paulistanos.

Coronel Santinho
R. Visconde de Pirajá, 155, Ipiranga - (11) 3477-3196

Goma Tapiocaria
R. Girassol, 273, Vila Madalena - (11) 3034-4255

Octavio Café
Av. Brigadeiro Faria Lima, 2.996, Jd. Paulistano - (11) 3074-0110

Clique aqui para ver como fazer em casa o dadinho de tapioca do Coronel Santinho e aprender também uma receita de tapioca com sementes de chia, da Tapiocaria Raízes do Nordeste.

(Foto: Prato do Octávio Café - por Tadeu Brunelli)

indicas.com.br

COMENTÁRIOS

VEJA TAMBÉM

Onde Comer e Beber

Alto da Boa Vista
Campo Belo
Granja Julieta
Jardim Marajoara
Outras
Vila Cruzeiro
Vila Nova Conceição
Brooklin
Chácara Santo Antônio
Itaim Bibi
Moema
Santo Amaro
Vila Mariana
Vila Olímpia
chinaeats_vertical