Encontre aqui

Esporte

11 de Julho de 2014 às 10h26

Confira dicas de corrida para começar a praticar agora

Dê início ao seu treino com a orientação do educador físico Leandro Abete

Além de promover o equilíbrio físico e mental, a corrida traz outros inúmeros benefícios ao indivíduo. Ela proporciona controle do peso, desenvolvimento muscular, diminuição do risco de doenças cardíacas, controle do diabetes e melhora do sistema cardiorrespiratório, do sono e do raciocínio. E para você que quer começar a praticar este esporte que faz tão bem, o professor de educação física Leandro Abete dá algumas dicas imprescindíveis para qualquer iniciante.

Antes de tudo, procure ajuda especializada

Para começar, é indispensável o auxílio de profissionais especializados, como o cardiologista e o educador físico, pois em conjunto eles farão todo o programa de treino com base na condição física do indivíduo. “Vale lembrar que nem sempre conhecemos nosso corpo durante o esforço, então alguns exames preliminares são fundamentais, como o ergométrico ou ergoespirométrico”, afirma Leandro.

Força no esqueleto!

Para dar início ao treino é essencial que haja, em paralelo, um trabalho de suporte muscular e articular, já que devido ao impacto durante a corrida o peso corporal aumenta aproximadamente três vezes, podendo causar uma sobrecarga nos joelhos e tornozelos se estes não estiverem devidamente preparados.

Um item crucial, tanto para os atletas de primeira viagem quanto para os experientes, são os exercícios para a postura. “Mais um elemento fundamental nos treinos, principalmente nos iniciais, são exercícios educativos e corretivos para a técnica e a postura da corrida, daí a importância de contar com a ajuda especializada de um educador físico”, reforça.

Eleja o melhor horário

Os horários matutinos proporcionam uma melhor condição de performance, pois o atleta teoricamente está descansado. No período noturno, porém, a atividade física assume um caráter antiestressante. Desse modo, não há uma hora ideal, você deve se exercitar quando sente que rende mais.

Vista-se de maneira apropriada

Opte por roupas mais leves e confortáveis, que dão a possibilidade de “respiro” para o corpo, já que a troca de calor que ocorre durante a prática esportiva é importante para a saúde. Quanto ao tênis, lembre-se que nem sempre o mais caro é o melhor – o mais importante é avaliar a pisada para descobrir qual é o tipo ideal para você.

Alimente-se

É aconselhável procurar orientação de um nutricionista para que ele passe um programa alimentar que se encaixe com o metabolismo e o plano do atleta. Mas a principal regra é: nunca inicie um treino sem estar devidamente alimentado, mesmo que a intenção seja emagrecer, afinal seu corpo precisa de combustível para trabalhar.

Tão importante quanto a alimentação é a questão da hidratação, durante e após as corridas. “Carregue sempre água nos seus treinos e no caso de corridas mais longas, acima de uma hora, uma bebida esportiva pós-treino será bem-vinda”, aconselha o professor de educação física.

Alongamentos, fazer ou não fazer?

É recomendável fazer alguns exercícios para descontrair a musculatura e deixar o corpo mais confortável antes da corrida, como “soltar” os ombros e o pescoço a fim de deixá-los preparados. No final, faça apenas movimentos leves com os joelhos, tornozelos e quadril para aliviar a pressão das articulações. “Vale lembrar que após o treino a musculatura está cansada e dolorida, o que significa que não é o melhor momento para exagerar na extensão dos músculos”, lembra o especialista.

Comece com uma caminhada

“Um treino de corrida não precisa necessariamente começar com a própria corrida. A caminhada é a precursora da corrida, e portanto uma aliada fundamental para os alunos iniciantes”, lembra. O tempo para o exercício vai depender muito da condição física inicial de cada pessoa – por exemplo, um indivíduo que já anda diariamente terá facilidade para realizar uma caminhada de 30 minutos, diferente de alguém sedentário ou com sobrepeso. “Uma média boa de trabalho seria de três treinos semanais, um priorizando a técnica, outro a intensidade e depois a distância”, diz.

Fique de olho nos batimentos

É muito comum vermos as pessoas correndo com um frequencímetro, aparelho que é um grande aliado de qualquer atleta por medir a frequência dos batimentos cardíacos. Para encontrar a frequência máxima que você pode atingir durante atividade física, subtraia sua idade de 220. Se os batimentos atingirem até 80% desse valor, significa que você está em uma zona chamada de submáxima, sem riscos à saúde.

“Vale lembrar que o coração é um músculo, logo podemos lesioná-lo assim como qualquer outro de nosso corpo por excesso de trabalho. Caso note que sua frequência se mantém acima de 65/70% da máxima para atividades leves, fique atento e busque ajuda de um médico”, finaliza.

indicas.com.br

COMENTÁRIOS