Encontre aqui

Notícias

05 de Junho de 2015 às 10h22

Saiba onde encontrar paz em São Paulo

Listamos oito lugares onde é possível fugir um pouco do caos e relaxar

Em grandes cidades como São Paulo, somos obrigados a conviver diariamente com problemas como a poluição do ar, o barulho excessivo, o medo da violência, o trânsito e um mercado de trabalho cada vez mais exigente e competitivo. Muitas vezes nem percebemos, mas esse estresse cotidiano pode nos trazer diversas consequências, por isso é de extrema importância encontrarmos meios de nos desconectarmos um pouco e simplesmente relaxar.

“O estresse pode causar danos físicos e emocionais, dependendo da quantidade de tensão e da habilidade da pessoa em lidar com ela. Baixa imunidade, insônia, depressão, gastrite, labirintite, síndrome do pânico e desmaios são alguns deles. Isso mostra que precisamos melhorar nossa qualidade de vida e encontrar recursos para driblar o estresse, como o autoconhecimento e o contato com a natureza”, explica a psicóloga Denise Borges.

O publicitário Rodrigo Zanetti, de 30 anos, é um exemplo de quem conseguiu equilibrar essa balança. Há dez anos ele frequenta o Solo Sagrado de Guarapiranga, um dos maiores espaços para a contemplação da natureza e meditação do Brasil. “Vou para agradecer pelo mês que passou, pedir proteção para o seguinte, apreciar a paisagem e refletir sobre todos os aspectos da minha vida. É um local que me mantém centrado e me dá paz”, conta.

Se você sente que também está precisando de momentos assim, saiba mais sobre esse e outros pontos da cidade onde é possível “se desligar”:

Solo Sagrado de Guarapiranga

Criar “protótipos de paraísos terrestres”. Esse era o sonho do mestre japonês Mokiti Okada logo após a Segunda Guerra Mundial. No Brasil, a escolha foi um terreno de 327 mil m² às margens da represa do Guarapiranga, onde a construção do chamado “Solo Sagrado” começou em 1991, com a ajuda de milhares de voluntários que se revezavam em mutirões.

A ideia era tornar realidade um projeto bastante elaborado, com cada detalhe pensado para que as pessoas tivessem um local para entrar em sintonia com a natureza e meditar, elevando sua espiritualidade. O objetivo foi alcançado: os visitantes contam que a energia positiva pode ser sentida logo na entrada, quando se vê a água da represa, a variedade dos tons de verde das árvores e as alamedas floridas.

Endereço: Av. Prof. Hermann Von Ihering, 6567, Jardim Casa Grande (antiga Estrada do Jaceguai)
Horário de funcionamento: de quarta a domingo, das 8h às 16h. Fecha no primeiro domingo de cada mês
Mais informações: (11) 5970-1000

Borboletário

Em fevereiro deste ano foi inaugurado o primeiro borboletário de São Paulo e o segundo maior do Brasil, batizado de Águias da Serra. O lugar ocupa uma área com mais de 250 mil m², na Estrada da Ponte Alta, a cerca de 40 minutos do Autódromo de Interlagos e menos de uma hora do Aeroporto de Congonhas.

Em um espaço perfeito para quem quer respirar ar puro e se conectar com a natureza, os visitantes conseguem ver de perto borboletas de diferentes espécies da Mata Atlântica, tendo uma ideia da incrível diversidade de cores e formas do inseto que existem no Brasil. Muitos não sabem, mas nosso país é o que tem a maior variedade de borboletas no mundo, com um total de 3.500 tipos catalogados.

Além da experiência com elas, as famílias também têm a opção de curtir outras atividades, como trilha ecológica, passeio de caiaque e pesca infantil no rio Capivari, com anzóis sem fisga para que os peixes possam ser soltos logo em seguida.

Endereço: Estrada da Ponte Alta, 4300, São Paulo
Horário de funcionamento: sábados, domingos e feriados, das 10h às 15h (não abre nos dias de chuva)
Mais informações: (11) 5660-6102

Praça do Pôr do Sol

O nome oficial é Praça Coronel Custódio Fernandes Pinheiros, mas ninguém a conhece assim. Com uma das vistas mais privilegiadas de São Paulo, ela acabou ganhando o apelido de “Praça do Pôr do Sol”. O lugar é perfeito tanto para quem quer esquecer dos problemas depois de um dia de trabalho quanto para aqueles que gostam de aproveitar o fim de semana até o último raio de sol – momento que costuma receber uma salva de palmas dos presentes. Vale a pena levar canga, algumas comidinhas – e quem sabe até um violão – para admirar a paisagem com conforto e tranquilidade.

Endereço: Rua Desembargador Ferreira França, s/n, Alto de Pinheiros

Parque Estadual do Jaraguá

Para quem quer se distanciar um pouco da cidade grande e vê-la bem de cima, um passeio imperdível é o Parque Estadual do Jaraguá. Lá está o ponto mais alto de São Paulo, a 1.135 metros de altitude, cujo acesso pode ser a pé, após uma caminhada de cerca de dois quilômetros, ou de carro, pela Estrada Turística.

Mas o famoso Pico do Jaraguá não é o único atrativo por ali. Com 492 hectares, o parque localizado na região noroeste da cidade, a 16 km da Praça da Sé, abriga uma das últimas áreas remanescentes da Mata Atlântica da região metropolitana de São Paulo. Uma natureza que pode ser observada com calma nas quatro trilhas abertas aos visitantes.

Uma delas é a “Trilha do Silêncio”, que leva esse nome devido à densa vegetação que abafa grande parte dos ruídos produzidos nas rodovias do entorno. A caminhada é indicada para todas as idades, por ter um percurso de dificuldade baixa que leva apenas 30 minutos para ser concluído.

Já os visitantes com mais preparo físico podem se aventurar na “Trilha do Pai Zé”, de alta dificuldade. Ela percorre toda a variação de altitude que liga a parte baixa à parte alta do parque, o que leva em torno de duas horas e meia.

Endereço: Rua Antônio Cardoso Nogueira, 539, Vila Chica Luiza
Horário de funcionamento: todos os dias, das 7h às 17h – trilhas possuem acesso permitido até 16h
Mais informações: (11) 3943-5222

Templo Zu Lai

Distante apenas 30 km da capital, o Zu Lai é o primeiro templo na América Latina do Monastério Fo Guang Shan, com sede em Taiwan. Ele tem suas raízes no Budismo Maaiana, que acredita que a natureza búdica está ao alcance de todos e prega quatro princípios básicos: educação, cultura, ação social e prática religiosa.

Esse refúgio, porém, não atrai somente os adeptos da religião ou seus simpatizantes. Muitos paulistanos costumam ir até lá com frequência simplesmente para sentir um pouco de paz enquanto circulam pela bela arquitetura que remete aos clássicos palácios chineses, pelo jardim com esculturas em pedra sabão e pelas fontes.

Mas durante o passeio é importante não se esquecer de que se trata de um ambiente considerado sagrado. Não é permitido, por exemplo, levar bebidas e alimentos, fumar, fazer barulho, usar roupas curtas ou até mesmo manifestar carícias, como beijos e abraços.

Endereço: Estrada Fernando Nobre, 1461 – Cotia (acesso pelo Km 28,5 da Rodovia Raposo Tavares)
Horário de funcionamento: de terça a sexta, das 12h às 17h; sábados e domingos, das 9h30 às 17h
Mais informações: (11) 4612-9805

Espaço Ouvillas (Parque Villa-Lobos)

O poeta Carlos Drummond de Andrade escreveu em uma crônica que a obra de Heitor Villa-Lobos tinha “algo de vento forte na mata, arrancando e fazendo redemoinhar ramos e folhas”. A referência é perfeita para o Espaço Ouvillas, um ambiente agradável, verde, ao ar livre, onde os frequentadores do parque Villa-Lobos se deitam nos bancos e espreguiçadeiras enquanto escutam as canções do famoso compositor brasileiro.

Durante o horário de funcionamento do parque, saem das 15 caixas de som instaladas canções como “Bahianas Brasileiras”, de números 2, 4, 5 e 7, além de choros e outras melodias.

Endereço: Av. Professor Fonseca Rodrigues, 2001, Alto dos Pinheiros
Horário de funcionamento: de segunda a domingo, das 5h30 às 19h
Mais informações: (11) 2683-6302

Jardim Botânico

Com uma área de 360 mil m² de Mata Atlântica, o Jardim Botânico faz parte do Instituto de Botânica de São Paulo e está inserido no Parque Estadual das Fontes do Ipiranga. O recanto abriga 360 espécies de árvores, utilizadas para fins de pesquisa e conservação, e também alguns animais que vivem por ali livremente, como o tucano do bico verde e a preguiça.

Fazem parte de suas atrações duas estufas construídas em ferro inglês, uma delas com plantas tropicais e outra destinada a exposições. Também o “Lago das Ninfeias”, habitado por diversas plantas aquáticas, incluindo, é claro, as ninfeias – flor símbolo do Jardim Botânico – nas cores amarelo, roxo e rosa.

Há, ainda, o “Jardim dos Sentidos”, onde é possível tocar nas plantas e sentir seus diferentes aromas, e a “Trilha da Nascente”, um percurso de 360 metros pelo interior da Mata Atlântica que termina em uma das nascentes do Riacho do Ipiranga.

Endereço: Av. Miguel Stéfano, 3031, Água Funda
Horário de funcionamento: de terça a domingo, das 9h às 17h
Mais informações: (11) 5073-6300

Fotos:

Jardim Botânico - Roberto Borella
Solo Sagrado - divulgação
Borboletário - divulgação
Praça do Pôr do Sol - Vinicius Pinheiro
Jaraguá - Roberto Borella
Templo Zu Lai - Ana Paula Hirama
Espaço Ouvillas - divulgação SMA

indicas.com.br

COMENTÁRIOS