Encontre aqui

Notícias

17 de Agosto de 2015 às 09h14

Um hospital de mentirinha

Conheça a rede de oficinas que trata bonecas e brinquedos como verdadeiros pacientes

Tudo começou com Primo Capello, um imigrante italiano que trabalhava nas indústrias Matarazzo como tecelão. Ele estava sempre disposto a ajudar os vizinhos e, por ser muito habilidoso e perfeccionista, começou a receber pedidos de conserto de bolas, bonecas e outros brinquedos. Até que surgiu a ideia de abrir uma oficina na Penha, em 1937, que se tornou a primeira autorizada da marca Estrela. Quando uma boneca já tinha passado da garantia, a fabricante recomendava Capello, e assim o negócio prosperou.

Essa história é contada pelo neto Leandro Capello, hoje à frente do “Hospital das Bonecas, Brinquedos e Games”. Quase oitenta anos depois, o legado da família cresceu e agora conta com três unidades – uma ainda na Penha e outras duas nos bairros Brooklin e Itaim Bibi. A companhia recebe mensalmente de 10 a 12 mil brinquedos de empresas e cerca de 1.500 do público final, incluindo bonecas, itens motorizados, produtos para bebês, tablets etc. Os preços costumam ser entre 20% e 30% do valor original, com exceção de bonecas antigas, cuja restauração pode chegar a R$ 5 mil.

A grande sacada de Leandro, porém, foi transformar aquilo que antes era uma oficina comum em um hospital de mentirinha, a partir de 1983. Por lá, todas as recepcionistas vestem roupa de enfermeira e agem como se estivessem em um recinto médico. Quando um brinquedo entra para conserto, é cadastrado como se fosse uma internação e depois recebe alta. Existe até mesmo uma ambulância que pode ser agendada para buscar uma boneca em casa – que entrará de maca no veículo e terá sua pressão medida na hora.

“Fiz tudo isso para resgatar o universo dos sonhos, não apenas para as crianças, mas também para os adultos. Muitos clientes chegam aqui com um brinquedo que tem uma história, um passado. Ele pode ter pertencido à mãe daquela pessoa, por exemplo, ou ter sido um presente de Natal durante a infância. Você tem que ter muito cuidado e respeito com aquela peça, ela não é descartável”, diz Leandro.

A rede emprega atualmente 44 funcionários, sendo que muitos deles estão ali há dez, vinte ou trinta anos. “Sempre reforço que o que fazem é uma arte. Eles são os Gepetos modernos, levam alegria a muita gente. É uma profissão maravilhosa, não um simples negócio”, destaca o proprietário.

SERVIÇO
Endereços:
- R. Barão do Triunfo, 368, Brooklin
- R. Pedroso Alvarenga, 852, Itaim Bibi
- R. Cap. Avelino Carneiro, 110, Penha
Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 9h às 18h; sábados, das 9h às 13h
Contato: (11) 2643-2630

indicas.com.br

COMENTÁRIOS